Skip navigation

About these ads

20 Comments

    • Luis
    • Posted Abril 1, 2009 at 11:48 pm
    • Permalink

    Beijos também para a menina ^^

    • Leonardo Barateiro
    • Posted Abril 7, 2009 at 3:46 pm
    • Permalink

    Ficha de leitura
    Livro: UMA AVENTURA na falésia
    Autoras: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
    Resumo: Estava a decorrer um normal dia de aulas, e como de costume era um daqueles dias em que só apetece sair da sala. Estavam, então a ter aulas quando de repente se ouve uma batida na porta. Era a auxiliar de educação da escola que trazia um aviso dirigido do conselho directivo aos alunos da escola. O aviso avisava todos os alunos de que durante uma semana não haveria aulas devido às canalizações.
    Os cinco amigos, Pedro, Chico, Teresa e Luísa, e João combinaram então que passariam essa semana na casa da avó deste. Uma praia, a praia do lagosteiro, ficava mesmo lá perto. Então os cinco amigos decidiram dar um saltinho à praia, de noite. Assim foi, mas de cima das rochas puderam observar coisas estranhas e por fim um grito tão estridente que se podia identificar ser de uma pessoa que estivesse notavelmente em apuros. Decidiram ir falar com o faroleiro do farol, que ficava muito perto, para ver se sabia de alguma coisa, mas esse apenas afirmou que tinha também visto coisas bastante estranhas. Foi então que decidiram investigar. Dessa maneira acabaram por descobrir que o filho de um milionário inglês tinha sido raptado e estava preso numa gruta. Tiraram-no de lá e ainda com algumas dificuldades, pois haviam sido descobertos pelos raptores, conseguiram trazer Paul, o inglês, para terra. Tudo acabou em bem e como recompensa todos tiveram prendas do milionário como forma de agradecimento por terem salvado o seu filho, e foram também convidados para irem passar as férias do Verão a casa de Paul, agora seu amigo.

    Opinião: Na minha opinião considero os livros «Uma Aventura», muito interessantes e agradáveis de se ler , principalmente quando se gosta de aventuras.

    • José Ferreira
    • Posted Abril 9, 2009 at 1:22 am
    • Permalink

    A tua ficha de leitura está objectiva e muito bem escrita, Leonardo. Parabéns e Boa Páscoa! ;-)

    • Carla Lourenço
    • Posted Abril 11, 2009 at 2:13 pm
    • Permalink

    Ficha de leitura:
    Título: “O diário de Anne Frank”
    Autora: Anne Frank

    Resumo: Tudo começara quando se dera a guerra, por parte dos alemães, na qual, definitivamente, o objectivo que emanava dor pelo povo judaico, era a morte dos judeus matando irrevogavelmente todos eles. Como judeus, Anne Frank e a sua família fora obrigada a partir em busca de sobrevivência. Esconderam-se num anexo, com uma outra família que também felizmente conseguira esconder-se daquela inexplicável guerra. Neste diário Anne conta tudo o que se passara, durante dois longos anos do dia-a-dia de uma adolescente condenada, que só esperava que a guerra acabasse para poder voltar á sua habitual e humilde vida, que tinha com a sua família. Infelizmente, não lhes valeu de muito terem-se escondido, pois em Agosto de 1944, todos aqueles que se encontravam dentro do anexo foram presos. Consequentemente, em Março de 1945, Anne viria a morrer de tifo num dos campos de concentração de Bergen-Belsen.

    Opnião: Este diário é sem dúvida um dos melhores diários que já lera, pois retrata de forma completa e dramática, o desespero e o sofrimento que uma a jovem judaica passara para evitar aquilo que era incondicionalmente esperado. Eu recomendo este livro a todos os meus colegas e também ao professor caso não tinham lido, pois tenho a certeza que não se vão arrepender.

    • Beatriz Ferreira
    • Posted Abril 12, 2009 at 6:32 pm
    • Permalink

    Nome do Livro: ” Um verão mágico”, da colecção “Gato Mágico”
    Editora: Civilização
    Escritora: Sue Bentley

    Resumo:
    Era uma vez uma menina chamada Lisa Morgan que foi passar uns dias a casa da sua tia Rose, pois os seus pais viajaram para a América, em negócios.
    Lisa já estava à espera de sua tia na estação quando ouviu alguém chamar por ela, ao longe. Era a sua tia, a tia Rose. Foram para o carro, um Carocha vermelho chamado Matilda. Passado uns minutos chegaram a casa. Entraram e Lisa examinou a pequena casa. Viu que não tinha, nem televisão, nem torradeira, nem nada do que havia na cidade onde vivia. Ficou aborrecida ao ver que naquele tempo todo não ia ter nada para fazer.
    A tia ao aperceber-se daquele aborrecimento, disse-lhe para ir dar uma voltinha pelo celeiro. A Lisa aceitou, embora um pouco chateada. Entrou, e foi aí que viu alguma coisa a brilhar, umas pequenas faíscas saltaram, dentro de um saco de ração para os animais. Foi ver o que era e descobriu um pequeno gatinho. Passado pouco tempo ficaram amigos, mas havia duas particularidades nesse gato, ele falava e tinha poderes mágicos, que a protegeram de vários problemas com sua tia. Chamava-se Flame. Lisa nunca mais o largou, e ele contou-lhe o seu problema. Era uma príncipe gato e o seu trono estava a ser ameaçado pelo seu tio. Lisa prometeu-lhe que o protegia e o gato também lhe prometeu que a protegia.
    Um dia, enquanto andavam de bicicleta por uma estreita estrada conheceram um menino chamado John Wood , que se metia em muitos sarilhos com o polícia Mike Sanders . Foram à caravana da bisavó de John, chamada Violet ,e ela contou-lhes que a família Wood estava a ser acusada de caçar veados furtivamente. Lisa e John quiseram ajudá-la e foram procurar os bandidos que os caçavam e incriminavam os Woods. Conseguiram encontrá-los e fazer com que a polícia os prendesse, pois fotografaram os veados mortos na carrinha dos bandidos.
    Lisa voltou para casa da tia, depois daquela aventura e viu os pais à sua espera muito felizes de a ver.
    Lisa despediu-se do seu gato mágico que a salvara tantas vezes com os seus poderes, do seu amigo John e da sua tia e voltou para sua casa, da qual já tinha muitas saudades.

    Opinião: Na minha opinião este livro e um das melhores colecções que já li. Está muito bem escrito e é acessível aos leitores.

    • Daniela Moreira
    • Posted Abril 13, 2009 at 12:33 pm
    • Permalink

    Ficha de Leitura
    Titulo- “O diário de Anne Frank”
    Autor- Anne Frank

    Resumo- Anne Frank era uma rapariga de 13 anos que vivia em Amesterdão na Holanda. Na escola tinha admiradores em todas as esquinas,vinte e tal amigos e a preferida da maioria dos professores.
    Os pais de Anne tinham-se mudado mudado para Amesterdão porque os nazis tomaram o poder no seu país e Amesterdão era um país que tinha fama de acolher as minorias religiosas. Só que em 1940 os alemães invadem o território holandês, passados 5 anos o reino holandês rendeu-se e a rainha partiu para o exílio, em Londres.
    Depois de os alemães terem conquistado Amesterdão tomaram uma série de medidas contra os judeus e, quando os pais de Anne souberam que tinham de partir para um «campo de trabalho» decidiram esconder-se num anexo do antigo escritório do pai de Anne. Juntamente com a família Frank foi a família van Daan e mais tarde foi também Mr. Dussel.
    Durante a segunda metade de 1942 a vida no anexo complicou-se, Anne era acusada pela família e pelos van Dann de tudo o que fazia, esta que não aguentava todas as discussões e acusações respondia-lhes à letra, mas na primeira metade de 1943 Anne tinha ataques de choro e solidão.
    Na segunda metade de 1943 a vida de Anne foi ligeiramente melhor, tornou-se adolescente e as pessoas do anexo já a tratavam mais como uma pessoa crescida.
    Em 1944 Anne teve a sua grande mudança porque descobriu o seu anseio por um rapaz. Anne e Peter, filho dos van Danns, tornaram-se muito amigos.
    Mas infelizmente em Agosto de 1944 as pessoas do anexo foram capturadas e foram levadas pelos alemães, Anne morreu em 1945 devido à epidemia de tifo.
    Só Otto Frank, pai de Anne, é que sobreviveu.

    Opinião- Na minha opinião “O diário de Anne Frank” é um livro extraordinário em que aconselho todos a ler.

    • Rafaela Nogueira
    • Posted Abril 13, 2009 at 12:34 pm
    • Permalink

    Ficha de Leitura.

    Titulo: “Refém de si próprio”

    Autora: Laurent Chabin

    Resumo: Pedro não é um aluno muito popular. Ao contrário dos seus colegas, ele detesta jogar à bola e fazer desporto. Pedro, “alimentava-se” de livros, isto fazia com que vive-se num mundo completamente à parte, num mundo povoado de fantasmas, de almas do outro mundo, de criaturas rastejantes que assediam as caves, os muros e as criptas, como se isto tudo ainda não basta-se também não tinha amigos.
    Até que um dia veio para a sua escola um rapaz chamado Diogo, e este foi o seu primeiro amigo. Pedro, como não era um aluno muito popular, não tinha por hábito de ir às visitas de estudo, não gostava das confusas criadas nessas visitas, preferia ficar em casa no seu quarto a ler os seus livros, mas um dia houve uma visita de estudo que Diogo convenceu Pedro a ir, pois era um lugar que fascinou Pedro só pelas fotografias que Diogo lhe mostrará.
    Foram então para essa visita de estudo, mas acabou por acontecer uma coisa horrível, uma coisa que talvez Pedro desejasse há muito tempo, de maneira obscura e inconsciente, mas que encheu Pedro de terror, um dos seus colegas de turma tinha morrido. Marco tinha morrido devido a uma grande rocha lisa lhe ter caído em cima.
    Pedro era a única pessoa que podia revelar os pormenores do caso. Afinal, ele foi uma das últimas pessoas a ver o Marco ainda vivo. Mas mesmo o Pedro já não tinha certezas: teria sido um acidente ou um crime? O que teria mesmo acontecido? Pedro teve que enfrentar as provas do crime para não passar de testemunha a acusado. Pois as únicas pessoas que tinham ido com o Marco aos hoohoos, (chaminé de fada), tinham sido o Pedro e o Diogo, e foi por uma pedra dos hoodoos que Marco morreu. Pedro foi quase acusado da morte de Marco e injustamente, pois quem realmente tinha provocado o morte de Marco tinham sido Diogo.
    E quem ajudou Pedro a provar isso foi Beatriz a própria namorada de Diogo, mas uma rapariga muito especial para Pedro.
    Tudo estava bem quando acabou bem, pois descobriram quem era o verdadeiro culpado pela morte de Marco e as coisas entre a Beatriz e o Pedro foram melhorando.

    Opinião: Neste livro é interessante ver como Pedro reage às culpas que lhe são postas em cima, as atitudes que toma, mesmo não sendo culpado pela morte de Marco. Este é um livro que é interessante e que desperta a curiosidade de qualquer pessoa, por isso aconselho a ler pois acho que iram gostar, pois a história da morte de Marco fascina qualquer um.

    • Daniela Moreira
    • Posted Abril 13, 2009 at 12:36 pm
    • Permalink

    Professor depois de publicar a minha ficha de leitura reparei que a minha colega Carla também fez a ficha de leitura do livro “O diário de Anne Frank”, espero que não haja problema.

    • Ana Rita Silva
    • Posted Abril 13, 2009 at 2:51 pm
    • Permalink

    Nome do livro:”Magia Negra No Colégio”
    Editora: notícias editorial

    Era uma manha como tantas outras e Heloísa preparava-se para ir para a escola quando uma coisa muito estranha aconteceu. Quando foi ao armário buscar os seus sapatos este fechou-se sozinho e prendeu Heloísa lá dentro sem possibilidade para sair. Até que uma corrente de ar entrou pela janela e as portas se abriram bruscamente empurrando Heloísa cá para fora. Depois quando se preparava para descer pisou qualquer coisa que verteu um líquido. Era uma pipeta e Heloísa lembrou-se da aula de química e pensou que se calhar tinha trazido a pipeta sem se aperceber.
    Quando Heloísa chegou á escola os seus amigos estavam com cara de caso e percebeu logo que algo se tinha passado. Eles contaram-lhe o que se estava a passar com alguns elementos da turma. A Lúcia tinha a cara coberta de borbulhas azuis, as unhas de Luísa não paravam de crescer e as suas mãos estavam enrugadas e Marina não parava de soluçar.
    Até que quando Heloísa se preparava para lhes contar o que lhe tinha acontecido naquela manhã Leo, um amigo seu, perguntou-lhe o que tinha nas mãos. Ela olhou e viu que tinha as mãos manchadas de castanho e a textura da sua pele estava mais espessa e com mais marcas.
    No dia seguinte quando a mãe de Heloísa a foi chamar para se levantar, estava lá um sapo em vez dela. Ela tinha-se transformado. Heloísa tinha de fazer alguma coisa para lhes provar que era ela. Tentou prová-lo á sua mãe mas não resultou. Foi por fim Basílio que a salvou.
    Com a ajuda dos seus amigos e dos filhos do professor Lima, o professor de química, descobriram no sótão de casa dele um livro que fez com que Heloísa volta-se ao normal.
    No final o professor Lima explicou-lhes que aquilo tinha acontecido devido ao facto dele ter levado para a aula fórmulas químicas sem primeiro as ter testado.

    Opinião: Na minha opinião os escritores desta história tiveram muita criatividade e retrataram na história a importância da amizade, porque se não fosse o irmão de Heloísa e os seus amigos a ajudarem-na ela poderia nunca voltar ao normal.

    • João Oliveira
    • Posted Abril 13, 2009 at 7:07 pm
    • Permalink

    Ficha de leitura
    Livro: Uma Aventura nas Férias da Páscoa
    Autores: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
    Resumo: Num dia de escola normal, andavam todos excitados, porque nos boletins meteorológicos, anunciavam queda de neve.
    No dia seguinte quando as gémeas, Teresa e Luísa acordaram, estava a nevar. Quando chegaram à escola, estavam todos a fazer bolas de neve, e o Chico e mais outros amigos deslizam na neve em cima de sacos do lixo.
    Chegada a hora do almoço, as gémeas e o Chico decidiram ir para casa. Pedro ficou e só foi mais tarde.
    Em casa do João, a avó estava a falar com o filho dos vizinhos, Sérgio, que estava a arranjar o esquentador. Na conversa, Sérgio disse que havia uma colónia de flamingos que vinha para Portugal no Inverno e que um grupo de ornitólogos já estava a preparar uma expedição ao Tejo. João perguntou logo se ele e os amigos podiam ir nessa expedição. Sérgio disse que sim. Uns dias mais tarde, estavam todos prontos para irem ver os flamingos.
    No regresso da visita, ainda no barco Sérgio disse que podiam ir ver o moinho de maré a Corroios. Quando lá chegaram, não encontravam nenhum moinho e decidiram ir bater á porta de uma igreja para pedir ajuda. Quando lhes abriram a porta, perguntaram e o senhor disse que não podiam ter ido bater a melhor porta, porque o moinho de maré era ali mesmo.
    Quando acabaram a visita decidiram ir visitar outro moinho. Quando estavam a chegar, já tinha anoitecido e estavam todos a sentir algo estranho e instalou-se uma atmosfera de tensão.
    Chico desligou o motor do barco e quando saíram decidiram ir em silêncio pois poderia estar ali alguém. Ao aproximarem-se do moinho ouviram vozes. Chico decidiu subir ao telhado, e Pedro foi atrás. Através de uma falha entre as telhas, viram três homens amarrados e outros três a apontar-lhes armas e ouviram um dos prisioneiros dizer que eles não iriam escapar com a Custódia de Belém. Pedro lembrou-se de ter ouvido falar da notícia pela rádio.
    Dois dos ladrões saem do moinho e o outro fica para guardar os prisioneiros.
    Chico e Pedro decidem descer do telhado. João perguntou porque é que eles tinham demorado tanto e os dois amigos contaram tudo o que viram e ouviram. Foi quando Pedro teve a ideia de irem ver o que se passava no outro moinho e decidiram ir de barco, porque por terra podiam ser vistos.
    Quando chegaram ao moinho, Pedro teve a ideia de separarem-se e Chico disse que eles os três mais o cão, Faial, ficavam em terra e elas iam até ao Seixal contar ao Sérgio o que se estava a passar.
    Os três rapazes e o Faial subiram ao telhado do moinho e por falha nas telhas viram a Custódia de Belém e os homens a acender a lareira para a derreter. Chico pegou na corda que o Pedro levara, e tentou apanhar a Custódia.
    Ao fim de algumas tentativas lá conseguiu puxá-la para cima. Quando um dos ladrões ia pegar nela, não a viu em cima dos caixotes mas suspensa no ar. Quando o Pedro tentou ajudar o Chico caiu no buraco do telhado e um dos ladrões disse que se quisessem ver o amigo vivo teriam de entregar a mercadoria.
    O João, o Chico e o Faial desceram por uma tábua e ficaram todos juntos dentro do moinho.
    Na luta com os ladrões, estes foram de encontrão á porta e caíram ao rio.
    Enquanto isto, as gémeas encontraram o Sérgio e o grupo de ornitólogos e juntos decidiram chamar a policia e contar o que se estava a passar no moinho.
    A policia tomou de assalto os dois moinhos e os ornitólogos do barco apanharam os dois marmanjões que estavam encharcados até aos ossos.
    A Custódia de Belém foi retirada do telhado e devolvida ao museu.
    Acabou tudo em bem, quase bem, porque o Pedro partiu três costelas e um braço e ficou a recuperar o resto das férias da Páscoa.

    Opinião: Acho que este livro é muito interessante e de grande aventura o que leva a nós
    querermos saber o que bem a seguir.

    • Nádia Barbosa
    • Posted Abril 15, 2009 at 10:01 pm
    • Permalink

    Ficha de leitura
    Título: Amor de Perdição
    Autor: Camilo Castelo Branco
    Resumo:

    Este livro começa a contar a história de Domingos Botelho, pai de Simão, que formado em Direito, inicia sua carreira em Lisboa, onde cai nas graças dos reis. Na Corte, apaixona-se por uma dama de D. Maria I, D. Rita Castelo.
    Após dez anos de tentativas de aproximação e conquista, casam-se por fim em 1779.
    Em 1801, vivem em Viseu, na companhia de suas três filhas. Os seus dois filhos estudam em Coimbra. Manuel, o mais velho, muito reclama de seu irmão Simão, ao que o pai não dá muitos ouvidos. Antes até se orgulha de sua valentia e dos resultados académicos de Simão. Mas quando Simão, de férias em casa, se mete numa briga, em defesa de um criado que fora espancado, o seu pai enfurecido quer vê-lo preso. Sua mãe ajuda-o na fuga para Coimbra, onde aconselha que o filho aguarde que passe a fúria do pai.

    Simão, começa a defender publicamente a Revolução Francesa e, por isso, acaba preso por seis meses. Perdido o ano escolar, retorna à casa dos seus pais. O pai mantém-se frio e distante, não dirigindo a palavra ao filho.

    Simão modifica-se aos 17 anos porque se apaixona pela filha do vizinho, inimigo de seu pai. A inimizade apareceu porque Domingos Botelho deu sentenças contrárias aos interesses de Tadeu de Albuquerque e azedou ainda mais uma vez quando Simão aleija empregados de Tadeu numa briga.
    Por três meses, Simão e Teresa encontram-se e falam às escondidas, sem levantar nenhuma suspeita. Sonham casar-se e fazem planos para concretizar seus desejos de vida em comum.
    Teresa é descoberta pelo seu pai e este para castigá-la ameaça-a encerrar num convento.
    Rita, irmã mais nova de Simão, trava amizade com Teresa. É descoberta pelo pai e este obriga-a a contar tudo o que sabe enfurecendo-o.
    Tadeu de Albuquerque, pai de Teresa planeia o casamento de sua filha com o seu primo Baltasar. Ela nega o casamento e Baltasar jura lutar contra a união entre a sua prima e Simão.
    Teresa envia cartas a Simão e ele responde. Simão fica em casa do ferrador João da Cruz para poder ver Teresa. Eles voltam a encontrarem-se e são descobertos por Baltasar que numa briga é morto por Simão. Este assume a culpa e vai parar à prisão. O seu pai nega-lhe ajuda. Quem o ajuda é Mariana filha do ferrador que se apaixonou por Simão.
    Teresa é enviada para o convento de Monchique no Porto. Quando sabe que Simão foi condenado à morte fica desesperada e adoece gravemente. Com a interferência de seu pai, a pedido de sua mãe e filhas a sentença de Simão muda e ele é deportado para a Índia. Embarca no dia 17 de Março de 1807. Mariana consegue lugar a bordo para o acompanhar. Nesse dia às nove da manhã,, Teresa, que continuou a escrever-se com Simão, sobe ao mirante para ver o navio partir e acena despedindo-se de Simão e acabando por morrer mesmo ali tão grande era o seu desgosto.
    O capitão do navio conta a Simão detalhes da morte de Teresa e promete-lhe se algo de mal lhe acontecer ele reconduzirá Mariana a Portugal. No dia 28 de Março Simão Botelho morre em alto mar, depois de sofrer nove dias cheio de febre e delírio.
    É lançado ao mar e nesse mesmo instante Mariana joga-se à água morrendo também.
    O ódio de duas famílias transformou o Amor de dois jovens num AMOR DE PERDIÇÃO. (de Camilo Castelo Branco)

    Opinião: No dois primeiros capítulos achei a historia aborrecida, pois só descreve os acontecimentos das famílias.
    Quando a historia começa a falar sobre o romance entre Simão e Teresa torna-se uma historia interessante.
    No final do livro descobri o sentido do título porque é uma historia trágica.

    • Liliana Silva
    • Posted Abril 16, 2009 at 7:16 pm
    • Permalink

    Título: A Casa do Nevoeiro
    Autora: Ana Teresa Pereira

    O livro “A Casa do Nevoeiro” é o quinto volume a ser publicado. Este quinto volume, tal como os outros que tive a oportunidade de ler, revela muito mistério.

    Aqui vai um pequeno resumo para quem ainda não tem conhecimento deste livro:
    “A Casa do Nevoeiro” é o nome atribuído à casa de férias no Paul do Mar. Neste local, decorre vários mistérios e aventuras, na qual envolve o desaparecimento de um pintor. Este, por sua vez, apenas oculta a sua identidade devido ao roubo dos seus quadros.
    O autor dos roubos é finalmente desmascarado, acabando tudo em bem.

    De acordo com a minha opinião, este volume retrata muita emoção, aventura e mistério. Este tipo de livros costuma agradar os jovens, devido à simples e clara forma de como são escritos. O sentido e contexto das histórias desta colecção, escritas por Ana Teresa Pereira, proporcionam o incentivo aos jovens para que haja um maior número de leitores. Estes, por sua vez, têm a oportunidade de lê-los e apreciá-los, de uma maneira não complicada.
    Geralmente, este tipo de livros é o que mais me agrada.

    • Helena Couto
    • Posted Abril 16, 2009 at 7:22 pm
    • Permalink

    Professor, eu comecei a ler um livro nas férias mas ainda não o consegui acabar, o livro é um pouco extenso (“Anjos e Demónios” de Dan Brown), será que poderia colocar aqui no fim da próxima semana a minha ficha de leitura?

    Obrigado.

    • José Ferreira
    • Posted Abril 16, 2009 at 9:02 pm
    • Permalink

    Claro. Continuação de boas leituras. ;-)

    • rui lopes
    • Posted Abril 20, 2009 at 3:38 pm
    • Permalink

    Titulo: A Fada Oriana
    autora: Sophia De Mello Breyner Andersen

    Oriana é uma fada. Uma fada boa. Uma fada boa com asas e varinha de condão. Também há fadas más. E uma fada boa também pode tornar-se má. Nem que seja só por algum tempo. Foi o que aconteceu a Oriana.
    A vida de Oriana era como deve ser: livre e feliz. Ela era obediente e prometeu à rainha das fadas que seria a guardiã da floresta e de todos os seus habitantes. E com o seu poder de fada boa despertava tudo que a rodeava. A vida na floresta era um despertar luminoso de cores, sons e movimento. E de magia. A magia da sua varinha de condão e do seu voo alado. O sopro do encantamento.
    Ads by Google
    Nem todos na floresta viam Oriana, mas a sua presença era-lhes vital. Que seria desses seres sem esse sopro?! A sua vida dependia dela.
    Mas, um dia, Oriana viu-se reflectida no rio. E descobriu como era bela! Começou então a apaixonar-se pela sua própria beleza. Cada vez se apaixonava mais e mais por si própria passando agora o tempo a admirar-se na água do rio, enfeitando-se de mil maneiras. E foi assim que a floresta e os outros seres de quem era guardiã foram deixados no esquecimento. A sua promessa de nunca os abandonar tinha sido quebrada. A floresta ficou perdida no vazio do desencantamento. Os sons jubilosos e as matizes que pintavam os dias desvaneciam-se numa tela negra.
    A vaidade de Oriana trouxe-lhe grandes castigos. A rainha das fadas tirou-lhe as suas asas e a varinha de condão. E foi assim que Oriana perdeu todo o seu poder e magia. Embora bela, já não podia ajudar ninguém. Estava desolada e arrependida; frágil e à mercê de todas as tentações. Mesmo assim conseguiu resistir à tentação da rainha das fadas más e não aceitou as asas que esta lhe queria dar. Oriana não queria ser má. Oriana queria ser boa. E foi o seu arrependimento e bondade que lhe devolveram a magia e o encantamento de voltar a ter asas e uma varinha de condão.

    • Fátima Teixeira
    • Posted Abril 20, 2009 at 8:08 pm
    • Permalink

    Ficha de Leitura

    Uma aventura na cidade

    Editora: Caminho

    Autoras: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

    Resumo: Esta aventura começa quando os amigos se conhecem.
    Depois de já muito falarem, as gémeas Teresa e Luísa falaram com o Chico, o Pedro e o João sobre uma garagem ao lado da casa delas, que de noite apareciam umas luzes, uns ruídos estranhos
    e queriam descobrir o mistério. Assim foi, começaram a investigar a garagem. João o mais pequeno foi quem entrou pela janela da garagem. Quando saiu, disse que lá dentro encontravam-se carros, pneus, faróis, muitas peças de carros. Uns dias depois os amigos fizeram algumas vigias à garagem e umas pesquisas sobre os carros roubados. Pedro o génio do grupo elaborou logo um plano para apanha-los em flagrante. O plano resultou na perfeição,os ladrões foram presos e os amigos continuaram com aventuras e peripécias.

    Opinião: Na minha opinião este livro é interessante, para quem gosta de livros de aventura.

    • José Ferreira
    • Posted Abril 20, 2009 at 9:12 pm
    • Permalink

    Rui:
    O que foi pedido foi que cada um de vocês lesse um livro à vossa escolha durante as férias da Páscoa, elaborasse uma ficha de leitura / comentário pessoal sobre esse livro e depois partilhasse aqui com os colegas o resultado desse trabalho.
    Foi o que tu fizeste? Não me parece.
    O texto que colocaste aqui já tem autor e encontra-se em: http://pt.shvoong.com/books/1749891-fada-oriana/
    Será que a atitude que tomaste foi correcta? Não estarás tu a apoderares-te de algo que não era teu?

    • Patrícia
    • Posted Abril 21, 2009 at 6:49 pm
    • Permalink

    O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

    Esta história fala do amor entre o Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.
    Gato Malhado era um gato já velho, mal-humorado e muito mau. Um dia,
    todos os animais do parque fugiram do gato mas houve uma jovem
    andorinha que permaneceu, num galho de uma árvore. Tiveram um pouco a
    conversar, ou melhor a discutir.
    Desde ai, o Gato Malhado passeava pelo parque, os seus pés
    levaram-no até a casa da Andorinha. A partir daí todos os dias se
    encontravam para passear e conversar. Já no fim do Verão, o Gato disse á Andorinha, que até casava com ela, mas ela respondeu que andorinhas não se casavam com gatos. Depois disso, a Andorinha andou desaparecida.
    Andou pela boca dos animais um boato que a Andorinha namorava com o
    Gato, e todos os criticavam.
    Algum tempo mais tarde, já no Outono, o Gato soube que a Andorinha estava de casamento marcado com o Rouxinol, que era muito amigo dela.
    Desde então, o Gato Malhado, passou a andar triste e mal-humorado para todos.
    Revoltado, o Gato matou alguns dos animais que começaram com os boatos.
    Já no Inverno, a Andorinha Sinhá casou-se com o Rouxinol. A tristeza
    do Gato Malhado era tanta, que ele decidiu caminhar até ao Fim do Mundo.
    Este viu a Andorinha, pela última vez no casamento, ela também o viu.
    Na cara dela via-se também tristeza, pois ela também gostara do Gato, mas fora obrigada a casar com o Rouxinol.
    A Andorinha Sinhá deixou cair uma pétala de rosa do seu buquê sobre
    Gato, e ele colocou-a no peito, parecendo uma gota de sangue.
    Quando o gato saiu de lá, a pétala brilhou e encaminhou-o até ao Fim
    do Mundo. Foi o último adeus que o iluminou no seu caminho.
    Assim, a Manhã recebeu a rosa azul do Tempo.
    Opinião: Será que o amor e a felicidade são impossíveis para dois seres, como um gato e uma andorinha que sendo tão diferentes, dominando territórios tão distintos como o céu e a terra, chegando até a ser inimigos naturais? Não será melhor viver a
    felicidade do que nos preocupar-mos com as diferenças e com o que os outros acham, esquecendo as diferenças e as opiniões divergentes por completo?
    A felicidade pode ter apenas uma passagem rápida pelas suas
    vidas e não voltar a acontecer, a vida deve ser vivida e os momentos
    bons devem ser aproveitados ao máximo para que mais tarde não nos
    lamentemos pensando como teríamos vivido se não tivéssemos deixado
    escapar as oportunidades.

    • Helena Couto
    • Posted Maio 1, 2009 at 9:10 pm
    • Permalink

    Livro: Anjos e Demónios
    Autor: Dan Brown
    Editora: Bertrand (Portugal)
    Género: Romance Policial, Supense e Ficção Científica.

    “Anjos e Demónios” é um livro, escrito pelo mesmo autor do famoso livro – que depois foi adaptado para cinema – “Código Da Vinci”, o qual já tive o prazer de ler. “Anjos e Demónios” é como que a primeira parte do Código da Vinci, partilhando ambos a mesma personagem principal – Robert Langdon, professor de simboligia de Harvard.

    Neste livro, Robert Langdon é chamado ao CERN, pelo director, Maximilian Kohler para desvendar um misterioso assassínio a um dos melhores cientistas do centro – Leonardo Vetra, que, para espanto de Langdon, era um cientista e padre católico. Este, estranhamente, tinha sido marcado com um ferro em brasa com a palavra ILLUMINATI no seu peito, um perfeito ambigrama (um ambigrama é uma palavra que tanto se pode ler de uma maneira como virada 180º), que supostamente tinha sido feita por uma irmandade anti-religiosa extinta. Esse cientista trabalhava, junto com a sua filha adoptiva. Ele pertendia unir a ciência e a religião, provando que o Genesis acontecera realmente. Ao tentar provar isso, eles também produziram antimatéria, uma fonte de energia não poluente, inesgotável, no entanto, extremamente perigosa. Robert e Vittoria descobrem que a maior quantidade produzida dessa “energia” havia sido roubada e seria detonada até à meia-noite, arrasando com tudo num raio de 800 m (uma única gota).
    Assim, os dois, partem numa viagem para a Cidade do Vaticano na tentativa de descobrir o contentor de antimatéria e levá-lo de volta ao CERN, antes que o pior acontecesse. Robert pensa que a irmandade dos Illuminati voltou para levar a cabo a sua missão – “destruir” a Igreja Católica.
    Quando chegam ao Vaticano, Vittoria e o professor americano tentam convencer a Guarda-Suíça – responsável pela segurança da cidade do Vaticano – do que iria acontecer, no entanto eles não se acreditam e os dois recorrem à autoridade máxima naquele momento – o camerlengo do falecido Papa.
    Isto tudo acontecia nas vésperas da eleição papal, na qual faltavam os preferiti – os quatro cardeais mais “inclinados” para serem papas.
    Langdon tenta seguir um antigo percurso, usado outrora como teste para todos os cientistas que pertendiam entrar nos Illuminati, chamado de Caminho da Iluminação onde ele desconfia que ocorrerão os assassínios dos cardeais.
    Ao longo do livro os cardeais vão morrendo e novas suspeitas acerca de quem seria o novo chefe dos Illuminati surgiam, e a contagem decrescente até ao Juízo Final continuava.
    No 3º assassínio Vittoria é apanhada pelo Hashashin dos supostos Illuminati, sendo depois resgatada por Robert depois de todos os cardeais estarem mortos, mas antes da detonação.
    Então, tentando impedir o pior, os dois correm para o camerlengo, que supostamente recebera uma “mensagem de Deus” acerca da localização da antimatéria. Carlo Ventresca – o camerlengo – vai buscá-la, nos últimos minutos e, juntamente com Langdon, sobe na direcção dos céus de helicoptero, com a antimatéria, na tentativa de a levar para longe de tudo o que fosse destrutivel. Os dois salvam-se, de modos diferentes, e no fim de tudo vem-se a descobrir que quem havia estado por detrás de tudo era mesmo o camerlendo, que usara os extintos Illuminati para levar a cabo uma espécie de missão que, segundo ele, lhe fora ordenada por Deus. Felizmente tudo acaba em bem, tirando a morte do pai de Vittoria Vetra, os chefes da guarda suíça – que morreram a meio da história, e do director do CERN – que morrera a tentar impedir o camerlengo.

    Este livro, tal como o seu sucessor (Código da Vinci) é simplesmente brilhante, cheio de mistério e surpresas. Adorei e aprendi imensas coisas com ele. Recomendo mesmo muito este livro a quem gosta de mistério, acção e de calhamaços :D (o livro tem 582 páginas, nada de mais…). Também recomendo que depois deste, leiam o “Código da Vinci”.

    Cumprimentos.

    • Luis
    • Posted Maio 2, 2009 at 6:14 pm
    • Permalink

    Livro: O crime do padre amaro
    Autor: Eça de Queirós

    Resumo: Era uma vez um padre jovem, que foi para uma paroquia te tinha estado sem padre devido à morte do anterior. Quando este chegou à paroquia tentou sensibilizar os habitantes dum pequeno bairro a serem mais católicos, ir à missa. Este bairro era caracterizado pelos os jovens andarem metidos nas drogas, serem “desviados” duma vida normal. Muito destes jovens eram de “gangs” , fazendo assim assaltos e outros negócios escuros.
    O pároco morava numa casa onde existia uma mulher bonita, sensual e sedutora. O padre e a mulher (Amália) começaram a ter relações sexuais, mas certo dia, “calhou mal” ao padre e Amália engravidou. Ela foi falar com o padre Amaro sobre a ocorrência, e Amaro disse-lhe que o melhor era fazer um aborto, pois esta historia podia-lhe arruinar a vida. Amália não quis, ela queria ter o filho, mas Amaro persistiu para ela fazer o aborto, Amália não aguentando mais suicidou-se.

    Opinião pessoal: Acho que este livro é muito interessante, houve partes que não percebi muito bem devido a escrita ser um bocado antiga, mas com o desenrolar da historia compreendi tudo. Aconselho vivamente toda a chente a lê-lo.


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: